Correndo e meditando no estádio do Morumbi

BLOG Morumbi

160 total views, 4 views today

O Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, é claramente um templo sagrado para os são paulinos e um palco que impõe respeito aos não são paulinos. Mas o que talvez ninguém se dê conta é que ele, assim como todos os outros estádios, é um espaço de aceleração e desaceleração, seja no sentido literal ou figurativo das palavras. Em outubro passado, acelerei e desacelerei na casa tricolor, combatendo meus demônios de maneiras completamente diferentes para um estádio de futebol: correndo e meditando no Morumbi.

VEJA TAMBÉM: Os melhores estádios para conhecer em São Paulo – incluindo o Morumbi!

A ideia surgiu meses antes enquanto eu passava os olhos por perfis de Instagrams aleatórios em busca de inspiração para realizar experiências fora do comum em estádios de futebol. Foi então que parei numa foto com pessoas meditando no estádio do Morumbi. O perfil era do profissional de Educação Física e treinador de corrida Lázaro Ferreira, da Cia Athletica, rede de academias há mais de 30 anos no mercado, com 16 unidades espalhadas pelo Brasil.

Esta unidade da Cia Athletica era a do estádio do Morumbi, o que por si só já chamaria a atenção. Fui bater na porta do marketing da Cia Athletica para saber mais sobre as aulas e sobre como eu poderia meditar por lá.

A meditação faz parte dos treinos de corrida da academia, ministrados por Lázaro, e passou a ser implementada na programação há pouco tempo. Timing perfeito para o que eu estava buscando já que só a corrida – bem mais comum – provavelmente passaria batida. Mas, verdade seja dita, fui pela meditação e acabei com o pacote completo. E que bom! Porque correr e, em seguida, meditar no Morumbi foi a experiência não convencional mais legal que tive num estádio de futebol até aqui!

Comecei a correr em 2015 para escrever melhor sobre corridas de rua. Coincidentemente este foi um dos anos mais difíceis da minha vida. No começo daquele ano minha família e eu passamos por um assalto dentro de casa. Meus pais foram agredidos e até hoje não sei se aquele momento durou minutos ou horas. Nada material se compara à paz que foi levada naquele dia. Três meses depois, perdi uma pessoa muito próxima, o que nunca havia acontecido antes. Um ano e meio depois eu estava correndo a minha primeira meia maratona e foi a corrida que me ajudou a encarar o terror que havia sido o ano anterior.

A pista do Morumbi tem 400 metros | Guia dos Estádios

Por um ano e meio eu nunca perdi um dia de treino, entregava a planilha completa semana a semana. Nem que fosse às 23h, eu ia correr. Foram os treinos longos que me ensinaram a conviver com a dor, porque superar, não sei se a gente supera. Quando cruzei a linha de chegada da meia maratona de Florianópolis eu sabia que se colocasse algo na cabeça – e se fosse algo que dependesse exclusivamente de mim – eu conseguiria. Apesar de dois anos sem correr frequentemente, correr no Morumbi me lembrou de tudo isso.

Na descida da rampa da academia para a pista, o Morumbi vazio parece pequeno comparado à imensidão que é vê-lo lotado. São 7h30 da manhã, o tempo está fechado e a aula está no aquecimento. Lázaro me conta que inicia a aula com educativos de corrida para aquecer. Faço uma pequena parte e vou para o lado oposto registrar o estádio naquela manhã. Volto e sigo com o treino com quatro voltas na pista de 400 m. Com o fôlego faltando, completo as quatro voltas entre uma parada e outra para conversar com o treinador e registrar pontos inusitados do estádio e o Morumbi já não parece pequeno. Cada aluno segue seu treino e ao final nos reencontramos para, descalços, soltar as pernas com uma corrida leve e extremamente relaxante no gramado lateral do Morumbi.

Lázaro me dá mais algumas dicas sobre como encaixar o quadril na corrida e finaliza essa parte da aula com um alongamento antes de dar início à meditação.

Meditar também não é algo novo para mim. Regularmente incluo 10, 15 minutos da prática na minha rotina, mas ainda sou uma completa amadora. A ideia de meditação me atrai. É um pouco excitante pensar que, com a prática, eu poderia aprender a controlar não apenas minhas emoções, mas também meus pensamentos. A promessa que se tem é de uma paz interior, uma sensação de calma, como se nada pudesse me abalar.

Lázaro (camiseta vermelha) é treinador na Cia Athletica desde a inauguração da unidade no estádio do Morumbi | Guia dos Estádios

Naquela manhã seguinte ao clássico São Paulo x Corinthians, tudo o que se ouve são os pássaros, os barulhos de carro e obras ao longe, a respiração dos companheiros de aula e o que chamam de som da cura da tigela tibetana trazida pelo professor. Como a meditação pede, deixo os pensamentos irem e virem, eles passam como numa dezena, centena de nuvens diante dos olhos. Quando se tem a impressão de que se está chegando ao ápice… Acabou. E são só 8h30 da manhã.

Como correr e meditar no Estádio do Morumbi

A Cia Athletica tem uma academia dentro do estádio do Morumbi. O espaço serve, inclusive, de camarote durante os jogos do São Paulo. A academia conta com diárias avulsas (R$ 193 – preço de outubro/2019) para quem quer ter a experiência de correr/caminhar na pista do estádio. Você fica ali do ladinho do gramado, passando pelas arquibancadas, pelos bancos de reserva, ouvindo e vendo os pássaros pousarem nas torres de iluminação e nos telões tão característicos do Morumbi… É de uma paz sem igual! E se chover? Dá pra observar tudo isso de dentro da academia. Para conhecer mais detalhes sobre os planos da Cia Athletica Estádio é só clicar aqui.

Ficou curioso? Fiz um vídeo dessa experiência:

Facebook Comments
Compartilhe:
Fernanda de Lima

Jornalista. Especializada em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte e estudante de Educação Física. Hoje, escrevo sobre turismo e estádios no Guia dos Estádios. Vem comigo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *